25.3.11

Comprei o ponto!

O sonho de ser o seu próprio chefe é o sonho de todos, mas querer nem sempre é poder. É preciso ter perfil para empreender, ter habilidade para gerenciar e ter as competências necessárias para estar à frente do próprio negócio, pois não importa em qual ramo estamos - todos exigem reformulação permanente!

Há pequenos empreendimentos que, em tese, parecem fáceis de conduzir. Entretanto, o que de início parecia simples sempre tende a complicar, basta ir acumulando tempo no mercado e as marolas econômicas vão empurrando o empreendedor para mares turbulentos, exigem estratégias complexas e às vezes mudanças de rumo bem radicais... Logo chegam novas responsabilidades, novas tecnologias, exigência de novos conhecimentos...

Embora estejamos em plena era tecnológica, quando é imprescindível conhecer todos os seus recursos, ainda encontramos empreendimentos onde formulários, gráficos e planilhas simplesmente não existem, onde planejamento financeiro é um bicho de sete cabeças, um plano de negócios é um ilustre desconhecido, o computador é uma ‘traquitana’ totalmente dispensável que existe só para enfeitar a mesa de trabalho e o arquivo, que poderia ser um recurso, surpreende como lugar para guardar bolsas e pacotes de papel higiênico. Tudo, absolutamente TUDO, estava registrado na memória do dono!

Esses empreendimentos ainda existem, não são poucos, até dão lucro e possuem considerável movimento de clientes - fiéis e constantes. Você esteve lá em diversos momentos, comprovou a casa cheia, conversou com o contador diversas vezes, analisou contas e documentos, tudo pareceu estar ok! Mas você não encontrou registros gerenciais do passado... O dono foi embora com os registros na memória DELE. E você se vê à frente de uma verdadeira ‘cama de gato’ que precisa ser deslindada. Ele administrava com base no feeling, a experiência adquirida pela vivência fez o negócio subsistir. A situação agora é a de ‘administrar partindo do zero’, sem perder o feeling!

Então, você comprou o ponto. Ótimo! E agora? Vai revender o empreendimento daqui a um ano com considerável prejuízo, ou está muito bem preparado para seguir o caminho e tornar-se grande?

= = = = = = = = = =
(Este é um exemplo com base em fatos reais. O ex-dono revendeu o empreendimento após um ano, porque ele “não deu certo”...)
By: Nanda Nogueira

Um comentário:

Malu disse...

Passei rápidinho para conhecer o espaço.
Volto com mais calma, mas gosto de verborragias, então estas muitas palavras caíram bem.
Abraços